quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Às vezes parece que algo/alguém segura a minha vida.
Às vezes parece que algo/alguém empurra a minha vida.
E nesse jogo de forças
Eu oscilo
Do lado de fora ao fundo.
Mas sempre acabo pendurada na borda.
A um passo da liberdade
A um passo da queda
A um passo da prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário